Santa paciência com a bajulação de José Manuel Ribeiro

Advertisement

O director do jornal ojogo anda desesperado por vendas. Os números já saíram e já englobam 15 dias de estado de emergência. Venderam menos menos 2399 jornais por dia no primeiro trimestre de 2020 comparando-os com o primeiro trimestre de 2019.

Mesmo assim recebeu algo dos nossos impostos para se conseguir manter a atacar o Benfica e a proteger o seu querido presidente honorário.

Esta foi a sua ultima crónica. Não subscrevo e como tal o titulo e o sub-titulo chegam-me para o questionar. Critica o presidente do Benfica por dizer que o Vinicius valeria 3 vezes mais que o Haaland e que os dois jogadores valeriam 200 milhões.

Primeiro o artista sabe perfeitamente que o Haaland não custou só 20 milhões. É jornalista e como tal tem de ser rigoroso. Deveria ter publicado o salário do jogador assim como os outros 20 a 40 milhões que o empresário poderá receber. Se eu sei e não sou jornalista este artista deveria ser um pouco mais rigoroso.

José Manuel Ribeiro criticou o presidente do Benfica por este ter dito que faria 200 milhões se não fosse o coronavírus. Vou esperar sentado para ver uma critica a Pinto da Costa sobre os 147 milhões de euros em vendas se não fosse a pandemia. É que o Ajax semifinalista da Champions, vale 160 milhões de euros, o falido FC Porto vale eliminado pelo Krasnodar vale 147 milhões.

Não adianta subscrever o jornal porque a bajulação é tão grande que ainda não foi escrita uma única linha sobre o “25 de abril no futebol”. Existe uma lista de políticos a ter efeitos em vendas de edifícios, apoios a canais com dinheiro do estado e a questão da futura academia do FC Porto com o dinheiro dos nossos impostos. Não vai escrever pois arrisca-se a levar o toque como levou o Manuel Queiroz na entrevista ao Pinto da Costa. Talvez fique sem apoios como Fernando Gomes ficou sem ordenados quando falou em ficar no lugar do grande líder.