Ontem no programa de estreia Rui Gomes da Silva na TVI24, Miguel Guedes seguiu a cartilha iniciada por outro cartilheiro do FC Porto. A da ligações entre o Benfica e a XXIII capital onde um fala em “suspeitas” e o outro diz que é um “esquema” que não caracteriza de “ilegal”. Ambos recusaram-se a comentar, por exemplo, o adiantamento da venda do Rúben Neves pela mesma empresa que hoje lançam tantas suspeitas.

Para os cartilheiros, importa destacar um artigo que se percebeu logo à partida de como foi cozinhado(VER AQUI) ignorando que a mesma empresa trabalhou com o FC Porto por mais de uma vez.

Fica o documento que prova a falta de rigor do The Guardian e Expresso.