Hoje é daquelas noites que não há como defender o que se passou no Bonfim. Não há desculpas que justifiquem o que aconteceu no encontro entre Vitória-SL Benfica referente à 19ª jornada. Podemos e vamos analisar porque NUNCA devemos ficar calados, mas não podemos responsabilizar outros dos nossos insucessos.

53 jogos que o Benfica não ficava em branco nas competições nacionais. Teve 78% de posse de bola e cerca de 20 remates feitos, onde 6 foram enquadrados com a baliza. Só se pediam 2 golos e isso não aconteceu.

Muita falta de confiança e falta de frescura física ditaram a derrota. Até no jogo com o Moreirense conseguiram fazer melhor. Depende-se muito de Pizzi e isso foi fácil para o adversário. Bastou não deixar o número 21 do Benfica jogar, que perdeu-se o meio campo. Ainda para mais um jogador que precisa urgentemente de banco para descansar. Hoje foram quase 30 minutos a jogar em esforço. O Vitória de Setúbal para parar o Benfica, bastou fechar os corredores laterais e colocar 2 jogadores junto de Pizzi e Jonas. Isso anulou por completo a equipa obrigando a andar a circular a bola na defesa.

Preocupa-me o que se está a passar nesta equipa numa altura em que se aproximam as decisões. Mas também me preocupa os factores externos, onde também somos os principais responsáveis. O caso do castigo do treinador, o silêncio dos responsáveis e o rendimento dos jogadores, não há equipa que aguente. Ter que substituir um jogador ao intervalo porque tem um amarelo, demonstra o que se passa nos jogos do Benfica. Cervi, jogador que faz maravilhas com a bola, que dribla muito bem os adversários e que é muito fustigado com entradas dos adversários, teve de dar lugar a outro colega, não iria o árbitro expulsar por alguma suposta simulação. Mas também uma entrada para Vermelho e um pontapé de penalti por marcar no ultimo segundo demonstra o que está a acontecer. Não foi falta de coragem de João Pinheiro, foi incompetência do árbitro assistente. Como também foi incompetência nossa em não conseguir traduzir a superioridade em golos. Mas por mais que a equipa não apresente o melhor do seu futebol, um penalti é um penalti e um vermelho é um vermelho!

Há que reconhecer as nossas fraquezas e fazer delas as nossas maiores forças. Nós só temos apoiar e denunciar tudo não ficando em silêncio. Fazer algo e não assobiar para o lado. Ficar sem voz nos jogos para que eles sintam a nossa força.

Domingo lá estaremos juntos e que esta derrota tenha um “Bonfim” em maio!

 


COMPARTILHAR