Segundo o inquérito que circula nas redes sociais, o jornal do grupo Cofina, Correio da Manhã, terá informado André Geraldes, antigo team manager do Sporting, dos processos que vinham a caminho.

Isto é o que está no despacho. “Apesar de André Geraldes ter sido informado, na madrugada do dia 15/05/2018, pelo Jornal Correio da Manhã de que contra ele corria um processo e de se admitir que o mesmo tenha apagado conversações de CHAT’S como o WhatsApp, e que o relacionariam com a preparação do ataque à Academia do SCP e a outros ataques aos jogadores da equipa profissional de futebol e à equipa técnica estamos em crer que estando o telefone móvel intercetado poderão existir conversas e mensagens que seriam relevantes para a prova nos presentes autos”

Um jornal que informa desta forma, não é um jornal. Um jornal que corre a avisar uma pessoa do Sporting de que há processos a correr contra essa pessoa não é um jornal. Para além dos vários segredos de justiça quebrados pelo grupo Cofina, não há uma única toupeira acusada ou condenada por passar informações ao Correio da Manhã. Avisar uma pessoa do Sporting é uma coisa normal. Avisar uma pessoa do Benfica cujo os processos o queixoso é o Benfica, já é crime e não pode ser.

Venham agora falar de quem anda à frente das investigações. Quem informa tem de ser chamado à justiça assim como que passa a informação ao jornal.