Advertisement

“A entrevista de Kokçu não foi boa para ninguém. Talvez para vocês porque tinham tema para falar”

Roger Schmidt em antevisão ao jogo com o Chaves, mostrou que começa a perceber como se movimenta a Comunicação Social em torno do Benfica

 

Chaves: “Sabemos que é sempre difícil jogar contra o Chaves, estão em perigo de descer, não têm nada a perder no nosso estádio, têm uma boa equipa e um bom treinador e temos de resolver este desafio.”

Advertisement

Pausa de seleções: “Foi uma pausa para seleções clássica, alguns jogadores jogaram pela sua seleção. Para nós foi uma boa oportunidade para descansar um bocado e recomeçar os treinos. Foi bom e estamos contentes por voltar a jogar. Principalmente depois desta pausa de seleções, jogar em casa é bom para começar. Todos os jogadores regressaram em boa forma física, um bocado cansados mas sem lesões, estou muito satisfeito com isso, fico com receio que fiquem lesionados. Agora estamos preparados para jogar este jogo, está a começar a fase decisiva do campeonato. Os últimos oito ou nove meses da temporada foram para estarmos preparados para estas semanas. Agora temos seis ou sete semanas para jogar, ainda estamos em três competições. Estamos numa altura especial da época, estamos no fim de março, continuamos a poder ganhar três títulos e temos de acelerar para chegar ao nosso nível mais elevado e tudo é possível.”

Agora podes seguir-nos no WhasApp e no Google Notícias

Sobre o tema Kokçu: “Como eu disse, tínhamos de estar focados no jogo com o Casa Pia e, com essa entrevista, achei melhor que ficasse fora do plantel. Ele já regressou hoje, falámos sobre isso, e nunca foi intenção dele criar este ruído, esta negatividade à volta da equipa. Como já disse antes e depois do jogo com o Casa Pia, estou completamente convencido relativamente a ele como jogador, à sua qualidade e também sobre o caráter. Cometeu um erro, a entrevista não foi boa para ninguém, talvez um bocado para vocês, porque tinham um tema para falar, mas para nós, para ele e para o Benfica não foi positivo, é muito claro. Mas agora temos de lidar com isso, mesmo quando os jogadores cometem erros, continuam a ser meus jogadores e tenho de apoiá-los, mesmo nos momentos difíceis. Falámos sobre isso e agora acho que é altura de falar dentro de campo. Não falar tanto sobre isso, mas chegou a altura de todos, não apenas ele, mostrar uma mentalidade muito boa e um desempenho muito bom em campo. O que é menos bom para nós, o que nos possa tirar um bocado o foco, tem de ficar de fora. É altura de olhar em frente e, claro, ele está de regresso ao plantel amanhã [sexta-feira].”

 


Otamendi e Di María: “São dois jogadores que gostam de jogar de forma consistente. Às vezes precisam de descanso. Às vezes é inteligente deixá-los de fora, mas são jogadores-chave, estão ambos a ter desempenhos de alto nível. Temos de tomar as decisões que forem melhor para nós e para os jogadores. Eles mostraram nos últimos 15 anos que podem jogar nas seleções e regressar ao clube e jogar. Não tenho dúvidas de que estejam prontos para amanhã. Bah está bem, ainda tem um pequeno problema, mas queremos cuidar dele. Penso que, de momento, ele está bem. Foi bom ele não jogar na seleção. Está de volta aos treinos. Está pronto para amanhã”.

Ameaças a Di María e família: “O que aconteceu mostra o quão maluco está o mundo. É um desastre, catastrófico. Isso afeta o jogador e qualquer ser humano. Estas mensagens são claras. Tentamos apoiá-lo como conseguimos. Como profissional experiente, ele consegue lidar com várias situações, mas é difícil e incomum. Falámos disso. Tenta viver uma vida normal. É muito claro. Tentamos apoiá-lo como conseguimos”.

Bernat conta para o resto da época? “Todos nós, ele também, esperávamos uma época diferente [em relação ao contributo de Bernat]. É um jogador muito experiente. Infelizmente, chegou com uma pequena lesão. Depois ficou bem e jogou uns minutos em alguns jogos. Mas voltou a lesionar-se, até agora. Não é o momento de pensar na próxima época, mas no que resta desta. Ele está a trabalhar forte para voltar à equipa. Cinco meses depois voltou ao relvado, está estável. Esperamos que ele tenha impacto nestas últimas semanas que faltam. Tenho de falar com ele, mas neste momento está bem.”

Kökçu na seleção: “Não estou a pensar muito na seleção nacional. Os selecionadores têm a sua ideia. Eles usam os jogadores da forma ideal. Os jogadores quando vão às seleções gostam de lá ir, é sempre uma grande honra. São diferentes as coisas na seleção e no clube”.

Comentários

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
A semana dos recados