Um dos directores de comunicação do FC Porto decidiu, imagine-se, defender Tiago Martins dizendo que o Benfica “lança uma acusação sem precedentes”. Leu bem, acusação sem precedentes. Dá uma de santo dizendo que nunca isto tinha acontecido, que toda a gente aceita os relatórios como verdadeiros e que “o Benfica agora cria este anátema de um árbitro ainda jovem, que já é internacional, que com certeza comete erros como os outros”.

“Já falámos da caça que o Benfica abriu à arbitragem. Este ano começou no início do campeonato e desta vez lança uma acusação sem precedentes de que o árbitro Tiago Martins terá mentido na elaboração do relatório. A primeira surpresa é como é que possível saber-se tão rapidamente da suposta mentira na redação do relatório do jogo. Não há memória de uma coisa assim. Parte-se do princípio que os árbitros quando escrevem escrevem a verdade. Nem é admissível que acrescentem factos. Há coisas que podem acontecer e nem constar. Agora, coisas que não aconteceram constarem é impossível. Toda a gente aceita como verdadeiros os relatórios. Se as pessoas ficcionam os relatórios não podem ser árbitros. E o Benfica agora cria este anátema de um árbitro ainda jovem, que já é internacional, que com certeza comete erros como os outros. Nunca se viu nada assim. Isto tem duas vertentes: apontar a mira a alguns árbitros, que o Benfica não quer que arbitrem; ecriar a ficção de que o FC Porto é sempre beneficiado. Para depois no final do campeonato acontecer o regabofe que aconteceu na época passada e parecer que não se passou nada. Estamos perante uma chantagem perante os árbitros e não acontece nada, ninguém parece preocupar-se muito com isto. Parece que o Benfica está a fazer chantagem ao mundo da arbitragem na esperança do regresso de alguns padres”, criticou o dirigente azul e branco.

Agora vou-lhe mostrar o que disse o mesmo director de comunicação sobre o Tiago Martins a 14 de maio de 2019. “Alguns senhores árbitros decidiram entregar o título de campeão ao Benfica. Chamam-se João Pinheiro, Tiago Martins, Bruno Esteves, Luís Godinho, Bruno Paixão, Hugo Miguel, são os árbitros das três saídas do Benfica. Todos estes árbitros têm um passado e esse é pró-Benfica. Quando decidem nomear estes árbitros estão a ajoelhar perante o Luís Filipe Vieira por causa do que foi dito na meia-final da Allianz Cup. Há um antes e depois. O CA interveio? Sim senhor. Os árbitros intervieram? Sim senhor. E foram decisivos. Em Braga, a segunda parte foi de sonho? Não, há a intervenção do binómio Tiago Martins e João Pinheiro. Decisões que alteram a verdade do jogo. Isto é grave.

Tem piada não tem? Mas não fica por aqui. Leu aquela conversa do não há memória de uma coisa assim e que os relatórios são verdadeiros. Eis o que Francisco J Marques acusou Tiago Antunes de “dualidade de critérios” e de “mentir” no relatório, depois de o árbitro Hugo Miguel ter escrito no relatório que Brahimi havia encostado a cabeça ao então quarto árbitro. O argelino, lembremos, foi suspenso por dois jogos na sequência do jogo com os arsenalistas.

Agora volte ao inicio veja do que esta gente é capaz. Truncar está-lhes no sangue!