Advertisement

CMVM fecha os olhos às comissões pagas na venda do Otávio

Imagine só o Benfica comunicar à CMVM que não pagou comissões na venda de um jogador e mais tarde justificar x valor com comissões

 

Para uns vale tudo e para outros ou cumprem a lei ou levam com multas. Uns é com perdões bancários enquanto os outros usam a contabilidade criativa para melhorar as contas.

Advertisement

Otávio foi vendido por 60 milhões de euros ao Al Nassr. A SAD do FC Porto tinha de dividir a verba com o Coimbra Esporte Clube, do Brasil, que detinha detinha 32.5 por cento do passe. O clube brasileiro encaixou cerca de 12.750 milhões de euros.

Dos 60 milhões, o FC Porto encaixou 47.25 milhões de euros. Mas no Relatório e Contas dizem que só entraram 39 milhões de euros. A falta dos restantes 8.3 milhões de euros da venda (14% do total), foi justificada por Fernando Gomes com encargos relacionados com o negócio (comissões).

Não foi o que o FC Porto comunicou à CMVM quando anunciaram a transferência de Otávio para o Al Nassr. Segundo o comunicado, o FC Porto não tinha de pagar comissões do negócio, uma vez que os mesmos tinham sido pagos quando, em outubro de 2021, o médio renovou com os dragões até junho de 2025.

Agora podes seguir-nos no WhasApp e no Google Notícias

“A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD, nos termos do artigo 29º Q do Código dos Valores Mobiliários, vem informar o mercado que chegou a acordo com o Al-Nassr Football Club para a cedência, a título definitivo, dos direitos de inscrição desportiva do jogador profissional de futebol Otávio Edmilson da Silva Monteiro (“Otávio”) pelo valor de 60M€ (sessenta milhões de euros), deduzido do valor de solidariedade devido a terceiros. Mais se informa, que foram renegociados os direitos económicos do jogador que estavam na posse do Coimbra Esporte Clube (32,5%), passando estes para o valor fixo de 12.750.000€ (doze milhões setecentos e cinquenta mil euros). Adicionalmente informa-se que os encargos associados a esta transação já se encontravam imobilizados, aquando da renovação com o jogador em março de 2021”, comunicou o clube à CMVM, a 22 de agosto de 2023.

Advertisement

No Relatório e Contas Consolidado da SAD aparece que o FC Porto gastou 16,9 milhões de euros com a renovação. Segundo o comunicado a “celebração e/ou renegociação de contratos de trabalho, nomeadamente no que se refere a prémios de assinatura no montante de 14.990.711 euros relativos, essencialmente, ao jogador Otávio”. O restante montante dos 16,9 ME supostamente foi para o empresário.

Ora o empresário na altura disse que não era verdade e que “esse valor corresponde aos salários da renovação do contrato por quatro anos, cerca de quatro milhões brutos por época”.

Obrigado CMVM para andar sempre em cima dos outros clubes e ser comido nesta total falta de transparência de um clube cotado em bolsa. Rende mais multar os outros clubes que um clube falido.

Comentários

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
A semana dos recados