Advertisement

Desde os 1-5 do Liverpool que o FC Porto não criava tão poucas oportunidades

Há mais de 2 anos que não tinham uma taxa de oportunidades tão baixa

A generalidade dos adeptos do FC Porto mente tanto que começaram a viver numa realidade paralela onde tudo o que é verdade se torna mentira e tudo o que é mentira se torna verdade.

O Barcelona jogou sem Raphinha, Pedri e De Jong, o Lewandowski saiu lesionado aos 30’, o Félix, que estava a ser o melhor jogador em campo, foi poupado pelo Xavi e ao fim de 1 hora já estava no banco a descansar, e o Yamal, que também teve de ser substituído, foi cagar a meio do jogo e ficaram mais de 5 minutos a jogar com menos um, coincidindo precisamente com o momento de maior domínio do FC Porto onde existiu o golo em fora de jogo do Taremi e o braço do Eustáquio bem assinalado pelo VAR.

 

Tivemos, portanto, um Barcelona sem Raphinha, Pedri, De Jong e Lewandowski praticamente o jogo todo, com Félix e Yamal a saírem de forma precoce devido a gestão e caganeira. Metade da equipa do Barcelona. Coisa pouca.

“Ode ao futebol.”
“Amasso.”
“Pusemos o Barcelona a rezar.”
“Não goleámos porque não calhou.”
“Ao menos não fomos humilhados.”

Advertisement

Ao contrário de alguns idiotas que só marram no vermelho com os cornos que lhes tapa a vista, nenhum benfiquista antes da partida no Dragão disse que o Barcelona seria fácil. Antes pelo contrário.

Quando o Benfica espetou 3 batatas na Luz é que saíram os bots e cartilheiros todos da cerca a espalhar a narrativa de que aquele era o Barcelona mais fácil dos últimos 100 anos. O mesmo Barcelona que se viria a tornar campeão da La Liga.

E mais, andaram o dia anterior todo a gozar forte e feio com o penálti por assinalar a Neres contra o Inter e a dizerem que com árbitros estrangeiros o Benfica não se podia queixar e que aquilo não era nada. Lançaram foguetes, emojis a rir, imagens de circos, parecia que tinham ganho algum troféu com a derrota do Benfica em Milão. Ontem, causa e efeito entra em ação, e passam o todo o jogo a assobiar um árbitro… estrangeiro. E no fim ainda vêm chorar da arbitragem.

 


Como dizia Guilherme Aguiar, ex-presidente da Liga e agora diretor-executivo:

“O fiscal de linha ajuizou bem, mas do sítio onde estava tinha que ter errado. Era impossível ter acertado. O Benfica foi beneficiado”.

Esta frase resume o que é o FC Porto e a perfeita desonestidade da maioria dos seus adeptos alucinados.

Leia também: Ex-árbitro internacional elogia arbitragem do clássico

Comentários

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
A semana dos recados