O Benfica avançou com o pedido de instrução no caso E-toupeira. A SAD do Benfica alega que não tinha conhecimento dos atos de Paulo Gonçalves.

Entre as 17 testemunhas arroladas pelo Benfica contam o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, o ex-presidente do Sporting Sousa Cintra e também os presidentes dos Sp. Braga, António Salvador, e do V. Guimarães, Júlio Mendes.

“É um salto no escuro”, dizem os três penalistas, Rui Patrício, João Medeiros e Saragoça da Matta, no requerimento de abertura de instrução. E por uma razão: “a Benfica SAD não teve conhecimento ou participação nos atos que são imputados a Paulo Gonçalves”.

Mais, diz a defesa do Benfica que nos anos em que Paulo Gonçalves desempenhou as suas funções “sempre o mesmo deu mostras à Benfica SAD de competência e integridade”. Elogio que vem reforçar a “surpresa e perplexidade” com que a SAD olha para o despacho de acusação.

Uma vez mais, a CMTV é quem dá a notícia. Como têm acesso?