ArbitragemFuteboltop

Vitória do Benfica salva VARgonha de arbitragem nos penaltis por assinalar

Houve pelo menos 3 pontapés de penalti por assinalar e análises são caricatas

PUB

Chegamos a um derbi em que se percebeu que o ruido em torno de uma mão na cara ter dado penalti para o Benfica ter deixado de o ser pelo ruído efetuado em toda a imprensa. Os empurrões dentro da área continuam a ser legais desde que o lesado seja o Benfica. Assim vai a arbitragem em Portugal

 

Felizmente o Benfica ganhou o jogo e estes lances não contribuíram para o resultado final. Aos 9 minutos Musa é pisado de forma clara e inequívoca. Como dizem alguns especialistas da especialidade, não é penalti porque o jogador não caiu. Podes levar murros, pontapés e empurrões que, se não caíres, não te é assinalado nada.

Advertisement

Minuto 63, Rafa recebe um bloqueio de Matheus Reis dentro da área do Sporting. Artur Soares Dias de frente para o lance diz que não. VAR Tiago Martins e Luís Godinho não acrescentam nada.Na jornada passada, o Sporting teve um penalti frente ao Farense com a mesma dinâmica. A diferença é que um foi empurrado pelas costas e o de Rafa é bloqueado de forma clara.

Agora podes seguir-nos no WhasApp e no Google Notícias

Minuto 79, Otamendi recebe um cotovelada na zona do nariz, dentro da área do Sporting. Artur Soares Dias diz que não há nada. Os VAR´s também acharam que como não partiu o nariz não havia lugar ao pontapé de penalti. Aqui se percebe bem que todoo ruído a semana passada sobre o penalti em Chaves teve efeito. Mãos na cara, dentro da área, deixou de ser motivo de penalti em jogos do Benfica.

Não fossem aqueles minutos em que o Benfica vira o jogo e estávamos aqui a falar de um jogo em que o Benfica saia prejudicado. Mas a maioria ignorava mais uma arbitragem manhosa e preferia continuar a bater no treinador para alegria da Imprensa desportiva.

Comentários

Pub

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Advertisement
Botão Voltar ao Topo