António Costa mostra-se surpreendido e promete ver o cartão do adepto

Advertisement

O tema cartão do adepto foi avançado por João Cotrim de Figueiredo e o primeiro ministro mostrou-se surpreendido com o que ouviu. Isto significa que o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto anda a falar em ficção e não na realidade que é ter as bancadas vazias.

João Cotrim de Figueiredo, começou por dizer que “nos últimos três meses o Governo deu um exemplo da forma como gosta de tratar de alguns problemas: que é pegar neles, complicá-los, depois vai buscar soluções que já provaram que não funcionam, algumas delas há mais de 10 anos por essa Europa fora, e acrescenta umas camadas valentes de burocracia. No fim o problema não só não se resolve, como fica pior: estou a falar do cartão do adepto.

Três meses depois da malfadada portaria e dois meses depois do início das épocas profissionais de futebol” o que se vê são “bancadas vazias – e agora que deixou de haver limite de lotação isso representa perda de receitas. Temos adeptos que não é por não estarem nessas bancadas vazias que não estão misturados no resto dos espectadores – piorando o problema que supostamente se devia ter resolvido – e esses estão misturados mas as famílias se quiserem ir a jogos fora das suas equipas, se por acaso um deles não tiver cartão do adepto, não ficam misturados ficam separados”, apontou.

António Costa mostrou-se “vivamente impressionado”

“Vou-me inteirar dessa realidade do cartão do adepto, francamente não estou em condições de responder mas a sua descrição desta vez foi tao impressiva que até a mim me parece ter convencido – é só isso que me deixa desconfiado. Mas também não posso ter aqui este preconceito de achar que nunca tem razão. Se calhar olhe, foi desta vez que tem, vamos ver. Prometo ir ver”, concluiu.

Recorde-se que o Benfica não disponibilizou a venda dos RED PASS por causa do cartão do adepto.