Depois de a UEFA ter aberto um processo disciplinar ao FC Porto por cânticos racistas no jogo frente ao Young Boys, Sérgio “Sonceição” lembrou o percurso como técnico para abordar o tema.

“Não vejo, no nosso país, que haja racismo ou insultos a jogadores de outras nacionalidades. Controlo o que se passa em campo, fora não posso controlar, mas não acredito que exista”. Então ouve isto e deixa-te de andar a encobrir o que o cabecilha da claque disse no momento do penalti a um jogador do Young Boys.

Em vez de ser homem e condenar a vergonha, preferiu ser fraco e seguir a cartilha pois sabe que pode levar um jogo à porta fechada. Sabe que se a coisa não corre bem o chefe da claque manda-o embora do clube.