As bolsas dadas a jovens árbitros pela Fundação Benfica

Depois da denúncia do antigo guarda-redes do FC Porto, Jorge Amaral, no programa “mercado”, da CMTV, o presidente executivo da Fundação Benfica, Carlos Moia, afastou qualquer tipo de suspeição sobre as bolsas para futuros árbitros dadas pela instituição do clube da luz. A iniciativa decorreu em dezembro de 2011, apoiando 25 jovens árbitros para os quadros do INATEL e não para o futebol distrital, regional ou até profissional. Este apoio resultou de uma parceria com o Inatel e o Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural. Para o presidente da fundação, aquele projecto alia “os valores morais, a ética e o profissionalismo”.

O comentador afecto ao Sport Lisboa e Benfica, André Ventura, tentou explicar o caso aos seus colegas de painel que iam gozando tendo uma falta de respeito para com a instituição que ajuda ao desenvolvimento social e que por sua vez, não é só para Benfiquistas.