A derrota do Benfica em Lyon complicou o apuramento para os oitavos-de-final da Champions e deverá provocar a mudança de estratégia da SAD na próxima temporada. Pelo menos, um acerto, com ida ao mercado para dotar o plantel de experiência e capacidade física para ombrear com equipas de outra dimensão que não a do campeonato português.

Bruno Lage admitiu a possibilidade de o Benfica ter de ir ao mercado na conferencia de imprensa após derrota com os franceses.
“A dimensão [europeia] constrói-se dando oportunidade à equipa para crescer. Os resultados não estão a acontecer, mas temos de encontrar o ponto até onde a equipa pode crescer com aquilo que temos em casa e olhar para o mercado. Queremos aumentar a competência e a competitividade da nossa equipa para fazer competições ao nível do clube”, explicou o treinador do clube.

Segundo a ideia, de acordo com as informações da imprensa, não é colocar em causa a aposta nos jovens talentos da formação, mas sim deixar de olhar para o Seixal como solução única para quase todas as necessidades do plantel. No fundo, haverá um pouco menos de Seixal e um pouco mais de mercado. No desafio com o Lyon (1-3) ficou reforçada a ideia de um acentuado desnível físico, que pode custar caro(como custou) a este nível. É esta lacuna que os responsáveis benfiquistas pretendem colmatar. O que está a ser maturado na Luz passa por encontrar um ponto de equilíbrio entre os futebolistas ‘made in Seixal’ e os que chegam de outras paragens. Isto para não tirar espaço aos miúdos para se afirmarem no plantei principal, ao ponto de terem de sair para poderem jogar.