O Papa Francisco falou esta quinta-feira de Eusébio da Silva Ferreira como exemplo de um jovem que não caiu na resignação e na ansiedade, conseguindo assim cumprir os seus sonhos e chegando ao topo da sua carreira de futebolista.

“Sei que a maioria de vós gosta muito de futebol. Recordo um grande jogador destas terras que aprendeu a não se resignar: Eusébio da Silva, a pantera negra. Começou a sua vida desportiva no clube desta cidade. As graves dificuldades económicas da sua família e a morte prematura do seu pai não impediram os seus sonhos; a sua paixão pelo futebol fê-lo perseverar, sonhar e continuar para diante… chegando a marcar 77 golos para este clube de Maxaquene!”

“Não faltavam razões para se resignar… O seu sonho e vontade de jogar lançaram-no para diante, mas igualmente importante foi encontrar com quem jogar. Bem sabeis que, numa equipa, não são todos iguais, nem fazem as mesmas coisas ou pensam da mesma maneira. Cada jogador tem as suas caraterísticas, como podemos descobrir e desfrutar neste encontro: vimos de tradições diferentes e inclusive podemos falar línguas diversas, mas isto não impediu de nos encontrarmos”, disse o Papa.