Advertisement

Redução de plantel e a continuidade de Nelson Veríssimo

Advertisement

“Quero reduzir o plantel para criar mais espaço aos nossos jovens jogadores”

“Nestes últimos dois anos mudámos o paradigma [de contratações], mas o Paulo Bernardo tem jogado, não é verdade que deixámos de apostar na formação, mas fomos mais ambiciosos sim. Quando se contrata muitos jogadores muitas vezes atrasam o desenvolvimento da equipa, até porque muitos não se adaptam. É verdade que fizemos um investimento alto, mas se pensarmos onde fomos investir, não foi um esbanjar de dinheiro em jogadores que ninguém conhecia. O projeto futuro passará sempre pelo misto de formação, nem todos os anos se conseguem João Félix’s, Renato’s e Bernardo’s Silva, mas também em jogadores com experiência, como elementos perto dos 30 que já nos deram rendimento altíssimo, como foi o caso do Jonas, por exemplo.”

“Este mercado de janeiro não é um mercado que ofereça muita coisa, naquilo que é a vida futebolística pós-covid. Queremos reduzir o plantel. Eu gosto de plantéis curtos. Um dos objetivos é reduzir o plantel para criar mais espaço para os nossos jovens jogadores. Este planeamento e o que preparamos para o Benfica também envolve o futebol de formação. Tudo aquilo que eu falar neste mercado pode desviar das atenções daquilo que eu realmente quero, que é lutar pelo campeonato nacional.”

Advertisement

Nélson Veríssimo

“Nélson Veríssimo é um homem da casa e nesta transição era essencial mudar um pouco o paradigma. É homem da casa, de grande qualidade, o trabalho que tem desenvolvido na equipa B é demonstrativo da sua qualidade, é um jovem treinador, benfiquista ferrenho e acima de tudo conhecia  grande parte do plantel. Já teve alguns destes jogadores em mão. Era mudança, mas com conhecimento do que estava dentro. Tenho a maior confiança no Nelson, sei o quanto ele sofre pelo clube, vai ser mais um a juntar-se aos que já lá estão. Sei que ao mínimo resultado que não seja positivo, que vai sofrer a dobrar. Tem feito um trabalho fantástico em termos de formação. Acredito plenamente, que seja a pessoa ideial para dar a volta ao fatídico mês de dezembro. Temos muito pela frente e vai-nos ajudar a superar esta fase. É treinador da equipa principal nos próximos seis meses. Decidimos ser cautos, tanto eu como o Nélson. Há quem diga, ‘mas se tens confiança nele, por que não fazes já contrato de ano e meio’? Se não tivesse confiança nele, metia-o como interino. Tem de se dar tempo aos treinadores. Tenho a minha convicção que não será apenas para seis meses”

“Escolher um treinador que se adapte. Uma das razões para termos escolhido Nélson Veríssimo é mesmo essa. É da casa, conhece os nossos jovens, se escolhemos um projeto desportivo, temos de ter um treinador que esteja sintonizado com as nossas ideias.”

Advertisement
DEIXE A SUA RESPOSTA

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo