O Benfica comunicou quinta-feira à noite à CMVM (Comissão de Mercado de Valores Mobiliários) que recebeu uma proposta de 126 milhões de euros do At. Madrid por João Félix, que está agora “a ser analisada”. O valor, 6 milhões acima da cláusula de rescisão, permitirá à SAD encarnada receber os 120 milhões de euros no imediato.

Algo que o jornal ojogo prefere ocultar na sua capa de modo a gerar dúvidas no maior negócio efectuado por um clube português.

E o que faz o jornal ao serviço do FC Porto? Diz que o Atlético de Madrid vai pagar a prestações. Nada de errado no título porque vai pagar. Só que não vai pagar a prestações ao Benfica. A operação financeira proposta pelo Atlético pressupõe que o Benfica acione uma operação junto de entidade financeira com as garantias dadas pelo Atlético Madrid, que terá um custo acrescido de seis milhões de euros em juros e que enquadra o valor que surge para os referidos 126 milhões de euros.

A azia tem destas coisas. O clube mal consegue contratar, deixa ir embora a custo 0 vários jogadores, o passivo aumenta assim como o prejuízo na comunicação fruto da sentença que desce o FC Porto de divisão e este jornal tem de fazer qualquer coisa para desviar as atenções. É como a garantia do Bruma no FC Porto mas que acabou no colosso PSV.

É agora uma questão de horas até Félix ser oficialmente confirmado como jogador colchonero para a próxima época – o clube madrileno pretende que tal aconteça até ao fim de semana. O Benfica terá de dar uma resposta, que será positiva, e tudo ficará fechado. Até porque entre o avançado e o Atlético está fechado.

CONTINUAR A LER