O ‘Investigação CM’ desta quinta-feira revela que o Ministério Público (MP) quer julgar Rui Pinto pelos acessos aos mails do Benfica. Não o diz claramente, mas acede ao pedido dos encarnados que queria o alargamento do mandado de detenção europeu para que o hacker pudesse responder por outros factos.

Há suspeitas de que foi Rui Pinto quem entrou nas contas do Benfica. E que fez chegar ao FC Porto – designadamente a Francisco J. Marques – centenas de mails confidenciais.

Rui Pinto disse, de imediato, que não renunciava ao princípio da especialidade – só aceitava regressar a Portugal para ser ouvido no caso Doyen – mas o MP contra-ataca. O pedido do Ministério Público a pedir o prolongamento do prazo para investigar é claro. Não chega o caso Doyen, querem sentar Rui Pinto no banco dos réus por outros acessos ilegais.

Caso o mesmo não renuncie ao princípio da especialidade, importa ainda efetuar um pedido de alargamento do mandado de detenção europeu às autoridades húngaras, incluindo os novos factos ora apurados nos presentes autos. Há outras diligências que o MP diz serem fundamentais serem feitas. Uma delas é ouvir todos os visados pelo hacker. Outra é conseguir descodificar os 12 terabytes de informação que ainda se encontram encriptados.

Quer ainda a procuradora responsável pelo processo ouvir Rui Pinto sobre tudo o que já foi encontrado, onde se incluem as suspeitas de acesso aos mails dos encarnados.

CONTINUAR A LER