Nélson Évora deixa recado a Pedro Pichardo

Advertisement

Despedida inglória de Nélson Évora. O português lesionou-se na primeira tentativa no concurso do triplo salto e não conseguiu melhor do que 15,39 metros, que o deixaram no 27.º e último lugar na qualificação.

«É o adeus aos Jogos Olímpicos. À carreira, não está em cima da mesa ainda. Aos Jogos é, sem dúvida. Tenho 37 anos e acho que tenho de fazer já um percurso de saída», disse o saltador português, medalha de ouro na edição de 2008 dos Jogos, em Pequim

«Não tenho nada a provar. Queria divertir-me, o que me deixou mais emocionado foi que logo o primeiro ensaio correr como correu e não poder desfrutar da prova», lamentou.

Mas deixou um recado a Pedro Pablo Pichardo, que terminou a qualificação no primeiro lugar, com 17,71 metros. «Não teria de ser eu a abraçá-lo. O Pichardo há-de aprender com a vida. Espero que tudo lhe corra muito bem.»

O grande Nélson deveria deixar de recados ou bocas. Fica-lhe mal a ele a toda a cartilha montada para denegrir um atleta que representa as cores de Portugal. O Pedro Pichardo não nasceu em Portugal, muito menos o Nélson. Só a RTP, através do seu comentador, é que se preocupa com as nacionalidades.

Deixem-se disso, conversem e puxem por Portugal. Ontem foi o grande Nélson e esperemos que quinta seja o grande Pichardo a vencer por Portugal.