“Era quase impossível falhar. Mas o futebol é assim, tem surpresas para os jogadores”

PUB

Jorge Jesus em entrevistas rápidas, após o empate com o Barcelona.

“Está a falar com um Jorge Jesus completamente arrasado. Tenho 30 anos como treinador, nunca vi um jogador meu [Seferovic] falhar uma oportunidade destas. Era quase impossível falhar. Mas o futebol é assim, tem surpresas para os jogadores. Se ganhássemos, estávamos dependentes de nós, mas agora não. Quando estamos dependentes dos outros, nunca dá certo. Espero que o Bayern tenha respeito no último jogo e jogue com os melhores [com o Barcelona], porque assim pode ajudar-nos.

PUB

O jogo do Bayern-Barcelona é à porta fechada? Até nisso não temos sorte. Se calhar já é um sinal. Mas temos de fazer o nosso trabalho. Já ajuda o Barcelona. Se o Bayern for sério, acabará por ganhar, com maior ou menor dificuldade.

[É um dos melhores jogos que já fez no Benfica?] não, nem pouco mais ou menos. Mas foi um dos jogos em que no final mais sofri. Falando daquela jogada do Haris. Fomos muito fortes defensivamente, faltou-nos alguma qualidade individual, como o Everton, o Rafa ou o João Mário, não renderam o que costumam. Mas defensivamente estivemos bem.

[Acredita na qualificação?] Eu acreditava hoje, vim convencido que ia vencer aqui o Barcelona, apesar de ser uma grande equipa. Sabia do nosso valor. Se calhar não vou ter essa sorte de ter uma terceira equipa a ajudar-me no último jogo.”