Inicio Azuis Finalmente alguém deu atenção à lista de Pinto da Costa recheada de...

Finalmente alguém deu atenção à lista de Pinto da Costa recheada de políticos

Os mesmos artistas que falaram da promiscuidade entre o futebol e a política continuam calados. Usam o Benfica como escudo para que este tipo de temas caia no esquecimento das pessoas. Até um olheiro que nunca trabalhou no Benfica foram buscar para mandar umas bocas.

Finalmente tivemos alguém a questionar a lista de Pinto da Costa. Não foi ninguém que atacou a Claudia Santos e muito menos alguém que usa um canal para atacar o Benfica. Eis o comunicado

A candidatura da Lista B analisa com espanto e até com comiseração a integração de grande quantidade de políticos nas listas concorrentes as eleições no FC Porto. Ficamos com a sensação estranha, mas entranhada, de que a pandemia criou ilusões maquiavélicas em algumas cabeças, menos sensíveis à mística Porto. Porquê?

Sabemos que, nos últimos 20 anos, alguns outrora pseudo-defensores da descentralização sem resultados práticos hoje rebatem-se nas reuniões da ‘senha de presença’ com total esquecimento na representação da cidade, da região e muito menos do clube.

Não queríamos, nem gostaríamos que as eleições fossem um fait-diver ou uma passarelle, onde os eleitores (sócios) serão seduzidos por caras conhecidas, para tentarem fazer esquecer um problema difícil de ultrapassar: as contas. As contas à moda de alguns senhores da SAD.

Será que outros clubes da cidade supostamente serão representados por alguns destes senhores e não terão o direito, na mesma proporção, a reivindicar a sua presença? Gostaríamos de perceber, se os cabeças de listas a este ato eleitoral perceberem a importância destas eleições.

Podem contar connosco para ir a votos e podem contar connosco para mantermos a chama, em nome do Dragão. Ficamos encantados, com a renovação e a ‘juventude’ acelerada da maior parte dos membros e ainda, pela falta do género nas listas opositoras”.

Ana Gomes, Rui Santos, Marques Mendes, Pedro Marques Lopes e Paulo Baldaia ainda não escreveram uma linha sobre o assunto