FPF emite comunicado sobre as competições

Advertisement

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) está a “trabalhar num plano gradual de regresso à atividade”, seguindo regras que garantam “a segurança de todos os intervenientes” para evitar a propagação da pandemia de covid-19, informou esta quarta-feira o organismo, através de comunicado.

“A FPF tem uma equipa de especialistas multidisciplinares a trabalhar num plano gradual de regresso à atividade”, indica o comunicado publicado no site da FPF, mencionando um “plano detalhado para as diferentes áreas: seleções nacionais, clubes, competições, arbitragem, Cidade do Futebol e colaboradores”

O projeto que prepara o regresso do futebol à atividade em Portugal envolve uma equipa de especialistas que integra elementos do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto e a Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa.

“O objetivo da FPF é assegurar que o regresso será efetuado no momento adequado, de acordo com as regras estipuladas e garantindo a segurança de todos os intervenientes, desde logo os jogadores, os treinadores, e os staffs clínicos e logísticos de apoio direto às equipas, mas estendendo-se aos restantes intervenientes em treinos, jogos e deslocações”, explica a Federação.

Se se recomendasse um médico especialista ao futebol profissional, a primeira opção talvez fosse um psiquiatra. A pandemia ditou que fosse um pneumologista, que encontrou os clubes unidos como raramente se vê.
A coordenação do projeto pertence à Unidade de Saúde e Performance da FPF, integrando as várias especialidades médicas na área da medicina desportiva e contando, entre outros, com a colaboração dos serviços de infecciologia do Hospital Curry Cabral e do Hospital São João.

“A FPF está comprometida e empenhada em garantir um regresso ordenado e seguro à prática desportiva. Com a nossa Unidade de Saúde e Performance, envolvemos algumas das mais reputadas instituições na área da saúde pública para a elaboração de um plano que permita esse regresso em condições que inspirem confiança”, observou o presidente da FPF, Fernando Gomes.

O organismo federativo assinalou que o grupo de emergência criado por Fernando Gomes e constituído pela Liga, representantes das associações distritais e dos presidentes do Sindicato dos Jogadores e das associações de treinadores, árbitros e médicos, será mantido permanentemente a par do trabalho desenvolvido no âmbito deste plano.