De facto é preciso ser tão ingénuo. Mas vamos na onda da ingenuidade para não estarmos a fazer o mesmo que outros. O FC Porto ganhou ontem e ganhou bem. 2 golos com carimbo do Ricardo Costa e outros tantos maus alívios que, se não fosse o Cláudio Ramos os números poderiam ter sido outros. A fazer 38 anos dá que pensar.

Uma arbitragem magnifica para os lados dos dragões, faltas e mais faltas com o amarelo a ficar no bolso. Só na primeira meia hora de jogo, Corona consegue lesionar um jogador e fazer mais 3 faltas. Amarelo? Era o Luís Godinho, que mais se podia esperar de um árbitro que bateu os records de apitar uma equipa por 5 vezes esta temporada e só vamos na 23ª jornada.  Depois temos a TV que escondeu a falta que daria o amarelo a Herrera. Tanta vez que se fala na BTV, ontem foi notório o profissionalismo ou falta dele, quando se tratava de faltas contra o FC Porto.

O que os jornais não podem esconder é a exibição de Ricardo Costa, que por azar teve uma foto de um bolo de aniversário, com o símbolo do FC Porto, a circular nas redes sociais. Ao menos tivesse guardado uma fatia aqui para a malta. Teve uma noite má, não tão má como o bolo certamente. São coisas do futebol.

Imagine que em vez de Ricardo Costa era o Fábio Cardoso e o jogo era o Benfica. Apostava numa primeira página, em comentadores a lançar suspeitas e directores de comunicação a acusar seja quem for.