O que disse Duarte Gomes no jogo do FC Porto e o que disse no jogo do Benfica

Advertisement

Já tinha aqui abordado a opinião do Duarte sobre um lance no jogo Benfica-Famalicão(VER AQUI) e hoje volto a abordar com mais dados que reuni ao longo do dia de hoje. O Duarte como ex-árbitro e comentador que é, não deve, fazer opiniões do género “Concordo que o árbitro não tenha assinalado mas se tivesse assinalado…”. Ou é ou não é. Ou assume a sua opinião ou mais vale não dizer nada. Isto de querer agradar a todos tem muito que se lhe diga.

Sobre o lance do Odysseas, em que começa por dizer que é um lance para várias interpretações(ou seja começa por se defender do que vai dizer a seguir), Duarte refere que o jogador embora tenha tocado a bola, é imprudente porque arrisca na saída e toca no jogador. Eu como ex-árbitro, conhecedor das leis de jogo, faltas por imprudência não são puníveis disciplinarmente, ou seja, não há lugar a qualquer tipo de cartão. Haveria sim, se a falta fosse negligente, punível de cartão amarelo, ou por força excessiva que é punível de cartão vermelho. Logo aqui o Duarte errou porque até poderia ser falta, o que não concordo, porque o jogador joga claramente a bola. Deixou aqui o vídeo do lance mas há mais.

 

No FC Porto- Vitória Sport Clube o Duarte referiu que “não estavam reunidas as condições escritas na lei para cartão vermelho”. Concordo porque tem um defesa praticamente ao seu lado.

Então qual é a diferença para este lance?

Porque é que o jogador quando vê que lhe tiraram a bola, se atira para o chão? Aliás, neste lance há um corte, no jogo do FC Porto não há corte nenhum.

Jogo com o Boavista, Chiquinho é puxado. Não há nenhum corte e não havia possibilidade do outro defesa chegar à bola.

Com isto concluo que, na minha opinião o Duarte está errado, tanto na interpretação das leis como na análise do lance. Se diz uma coisa para uns, não pode dizer outra para outros. Apesar de lhe dar mérito ao enorme esforço que faz, para que as pessoas vejam a arbitragem com outros olhos. Nota-se que se esforça. Neste caso, não concordo e há factos que o comprovam.